logo NFI logo SMART Research BV
Escolha seu idioma: English Español Français Português 中文(简体) 日本語 Русский
logo
shadow
Sistema

O sistema Bonaparte baseia-se em uma arquitectura cliente-servidor. Significa isto que o núcleo computacional—a parte de Bonaparte que efectivamente Computa as probabilidades—e a base de dados Bonaparte são executadas em um servidor dedicado. Os clientes de Bonaparte comunicam com este servidor através de uma rede. Uma vez que todas as computações são executadas no servidor, não é necessário que o cliente disponha de hardware caro. Esta arquitectura permite que os dados sejam armazenados em uma localização central, podendo os mesmos assim ser mais eficazmente protegidos.

Bonaparte schematic
Figura 1: Figura 1: Representação esquemática de um sistema Bonaparte (incluindo servidor e clientes), mostrando as diversas interfaces.
Cliente

As aplicações-clientes do sistema Bonaparte são disponibilizadas sob as seguintes formas: interfaces baseadas na rede (Asynchronous JavaScript and XML: AJAX), Java via a rede (Java Web Start) ou aplicações de Java locais. Qualquer uma dessas formas necessita de dispor de uma conexão de rede com o servidor para poder funcionar.

Dados

O sistema Bonaparte gere a sua própria e avançada base de dados interna (modelo avançado de dados executado sobre um sistema relacional de gestão de bases de dados [RDBMS]). Esta base de dados mantém um registro de cada modificação de dados (quem, o quê e quando), podendo ser restaurada a um ponto temporal prévio. A base de dados do sistema Bonaparte foi desenhada com três quesitos em mente

A capacidade de retrocesso significa que o utilizador pode seleccionar uma versão histórica da base de dados—um retrato do estado da base de dados, colhido em um qualquer ponto temporal (t), que filtra os dados criados após o ponto t—e assim trabalhar com essa versão da base de dados. O propósito de isto é permitir reconfirmar resultados antigos ou averiguar exactamente que dados estavam disponíveis em determinado momento, acções que pode, por razões legais, ser necessário empreender. O controlo de versões é efectuado com recurso à manutenção de um historial completo da edição de todos os dados inseridos na base; os utilizadores podem destarte, por exemplo, inspeccionar quem modificou o quê, quando e como.

A concorrência é implementada mediante o uso de ramos privados. Um utilizador pode, assim, iniciar a edição de um objecto e trabalhar com este novo objecto, enquanto os restantes utilizadores continuarão a ver o referido objecto tal como ele era antes de a pertinente edição haver sido levada a cabo. Somente quando o utilizador decidir publicar as modificações que executou, se tornarão as mesmas visíveis para os restantes utilizadores.

Dado que Bonaparte é um sistema baseado em uma arquitectura de tipo cliente-servidor, é sensível a interrupções do serviço de rede ou a falhas críticas do navegador. Tendo por finalidade a minimização da perda de trabalho em tais eventos, implementámos um mecanismo de recuperação em caso de falhas críticas. O sistema grava automaticamente em um ramo privado o trabalho levado a cabo pelos utilizadores. Caso ocorra uma falha crítica do sistema, os utilizadores necessitam apenas de reiniciar o seu cliente, podendo retomar a edição no exacto ponto em que a haviam deixado.

Segurança

O sistema Bonaparte pode ser configurado para utilizar somente conexões de rede seguras (Hypertext Transfer Protocol Secure: https). De esta forma, a autenticidade do servidor pode ser verificada e os dados dão encriptados antes de serem enviados através da rede. Opcionalmente, o sistema Bonaparte pode ser dotado de uma base de dados interna, de sorte que a informação seja ilegível, em caso de comprometimento do servidor.

Bonaparte logon screen
Figura 2: O ecrã de início de sessão do cliente Bonaparte.

Todos os clientes Bonaparte requerem que os utilizadores se autentiquem via ecrã de início de sessão, após o que é criada uma sessão segura. Adicionalmente, os clientes de tipo Java são também protegidos com uma chave (amovível) de hardware. Sem esta chave, a aplicação não pode ser iniciada.

Requisitos de software para executar o sistema Bonaparte

O sistema Bonaparte foi escrito em Java, sendo baseado em Servlets. Dessarte, não requer do servidor senão que suporte uma máquina virtual Java e hospede um servidor de aplicações. A nossa experiência de execução do sistema Bonaparte em FreeBSD Unix é boa, porém o Sistema também pode ser executado em Linux ou em Windows. Como servidor de aplicações, utilizamos Apache Tomcat. Adicionalmente, o sistema Bonaparte requer uma base de dados SQL (Structured Query Language) para o armazenamento de informação.

Para que seja possível usar o cliente com interface baseada na rede (AJAX), é necessário que disponha de um navegador moderno (as versões mais actuais do Firefox, do Internet Explorer, do Opera ou do Chrome). Caso recorra a um cliente Java, é necessário que disponha de Java (versão 1.6 ou mais recente).

Integração

O sistema Bonaparte pode facilmente ser integrado em infra-estruturas de tecnologias de informação existentes (vide figura 1), através das interfaces que fornece. O sistema Bonaparte aceita dados em formato XML (Extensible Markup Language), podendo dessarte ser conectado—possivelmente via um conversor de dados—à sua base de dados actual. Um exemplo de um tal conversor de dados é o sistema Napoleon, desenvolvido pelo Instituto Forense Holandês (NFI). É também possível controlar o sistema Bonaparte com recurso a software desenvolvido por terceiros, sem uso dos clientes Bonaparte.

agosto 29 2014, 09:24:16 / 2794567058c19b3614340bcee9e6227879047b55
EnglishEnglish EspañolEspañol FrançaisFrançais PortuguêsPortuguês 中文(简体)中文(简体) 日本語日本語 РусскийРусский
SMART Research BV • Heyendaalseweg 135 • 6525 AJ Nijmegen • The Netherlands EU flag Cookies