logo NFI logo SMART Research BV
Escolha seu idioma: English Español Français Português 中文(简体) 日本語 Русский
logo
shadow
Um caso de estudo: o desastre aéreo de 2010 em Trípoli
8U771 Airbus
O A330 das Afriqiyah Airways que se despenhou.
Imagem © Colecção Konstantin von Wedelstaedt

No dia 12 de Maio de 2010, o voo 8U771 das linhas aéreas ‘Afriqiyah Airways’ despenhou-se durante a aproximação ao Aeroporto Internacional de Trípoli, na Líbia. Este acidente resultou na morte de 103 pessoas; somente um passageiro sobreviveu. A maioria das vítimas era de nacionalidade holandesa, 70 no total. Entre as vítimas, contavam-se vários parentes de sangue. Cinco dias após o acidente, as autoridades líbias e o Ministério dos Negócios Estrangeiros dos Países Baixos requereram formalmente a adjuda do Instituto Forense dos Países Baixos (Nederlands Forensisch Instituut, NFI) no processo de identificação de vítimas de desastre (Disaster Victim Identification, DVI) A tecnologia Bonaparte DVI foi utilizada no processo de triagem e emparelhamento.

O NFI recebeu:

No total, o NFI recebeu amostras de referência de (familiares de) 84 pessoas desaparecidas. Não foram recebidas quaisquer amostras de referência pertencentes a 19 dos 33 cidadãos desaparecidos de nacionalidade não-holandesa.

A totalidade do labor de identificação levado a cabo no caso de Trípoli ocupou cerca de 26 dias. Estes 26 dias corresponderam ao tempo decorrido entre a chegada da primeira amostra e a geração do último relatório de emparelhamento/identificação (isto é, todo o processo de identificação).

Comparação

A fim de clarificar o acréscimo de rapidez que decorre do uso de Bonaparte, compararemos, de seguida, dois casos similares. O primeiro caso diz respeito a um acidente de aviação havido no Suriname em 2008, no qual morreram 19 pessoas. Dez das vítimas foram identificadas com recurso a análise de A.D.N., as restantes nove havendo sido identificadas com recurso a outros meios (dentes - Odontologia Forense – e impressões digitais – Dermatoglifia Forense). O segundo caso é o do acidente de aviação de Trípoli, tal como descrito acima. O número de combinações a testar (possibilidades de coincidência entre vítima e amostra de A.D.N. de referência) é aproximadamente igual ao quadrado do número de fragmentos corporais ou corpos que é necessário identificar.


Surinam crash
Dia 3 de Abril de 2008: queda de aparelho das linhas aéreas Blue Wing Airlines no Aeroporto Lawa Antino, em Benzdorp, no Suriname.
Tripoli img
Dia 12 de Maio de 2010: queda de aparelho das linhas aéreas “Afriqiyah Airways” no Aeroporto de Trípoli, na Líbia

Um acidente de dimensões relativamente pequenas, com apenas 10 vítimas, levou cerca de dois dias a resolver manualmente. Um caso como o desastre aéreo de Trípoli—com ′tão-somente′ cerca de uma centena de vítimas—não é resolúvel por via manual. O número de combinações que é necessário testar, de forma a que todas as vítimas sejam identificadas, é demasiado elevado. Um sistema automatizado de identificação, como o sistema Bonaparte DVI, é indispensável em casos como este. Além de encurtar drasticamente o tempo necessário para completar o processo de identificação, também reduz o risco de errores.

agosto 29 2014, 09:24:15 / f63a3239c19be715e963e947f66297a595e8136b
EnglishEnglish EspañolEspañol FrançaisFrançais PortuguêsPortuguês 中文(简体)中文(简体) 日本語日本語 РусскийРусский
SMART Research BV • Heyendaalseweg 135 • 6525 AJ Nijmegen • The Netherlands EU flag Cookies